Quando sorri porque consegue fazer um passe certo.

Quando comemora com seu companheiro porque fizeram uma boa jogada.

Quando tem comportamentos de FairPlay com seus adversários.

Quando marca até suas pernas não aguentarem e rouba uma bola num momento importante do jogo.

Quando respeita as diretrizes do seu time e comissão técnica.

Quando é resiliente e entende que perder faz parte do jogo.

Quando deixa de lado o que a torcida fala dele e entrega seu melhor jogo, com isso sabe que vai dormir com a consciência leve.

Meu filho é campeão porque ele sempre tenta e entende que conseguir nem sempre depende dele.

Esse texto poderia ter sido escrito por vários pais de atletas.

Mas muitas vezes eles estão prestando mais atenção aos erros dos filhos ou brigando com os árbitros (esses que estudam pra estar ali) ou estão xingando os técnicos porque não colocam seus filhos nos jogos (mesmo sem ter ideia de qual estratégia o técnico tenho de jogo) ou talvez estejam xingando os pais do time adversário (esquecendo que eles vivem nas mesmas posições que os outros pais).

Pai/mãe/família tem que torcer, tem que vibrar, incentivar e ajudar o jogador. Mas quando esses mesmos pais saem do prumo, viram torcedores ferrenhos e querem só o resultado positivo, deixam de ser pais e viram pessoas comuns. E devem entender que para os filhos, nunca serão pessoas comuns.

Seus filhos também querem ter pais campeões, que tal aprender com eles? Ainda dá tempo…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.