De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
Pelo Paulista, Gocil/Bauru vence Mogi das Cruzes/Helbor em casa
Kendal Anthony disputa lance com Larry Taylor.
Foto: Victor Lira/Bauru Basket.

No reencontro entre os dois finalistas do último Campeonato Paulista, o Gocil/Bauru derrotou Mogi das Cruzes/Helbor por 72 a 68 em partida válida pela sétima rodada do estadual 2017, disputada no ginásio Panela de Pressão, em Bauru, na noite deste domingo, dia 3.

Os donos da casa entraram em quadra sem Alex, Shilton e Hettsheimeir, que ainda estão em pré-temporada, enquanto os visitantes não contaram com o pivô Caio Torres. O atleta sentiu uma contratura na região lombar e foi sacado do confronto. Mesmo com os desfalques Bauru soube impor o ritmo no primeiro quarto e segurar a reação mogiana após o intervalo para garantir sua terceira vitória nesta primeira fase do campeonato.

O armador Kendall Anthony, mais uma vez, foi o destaque do jogo. Com 19 pontos, ele foi o cestinha do Dragão enquanto Larry Taylor do Mogi, foi o maior pontuador do jogo, com 20 pontos. Também contribuíram para a vitória bauruense o ala/armador Gui Santos e o ala/pivô Gabriel Jaú, ambos com 10 pontos,  e o pivô Maikão, que ficou a um ponto do duplo-duplo, com 9 pontos e 15 rebotes, destes 8 defensivos.

“Fico feliz de fazer uma boa partida novamente, contribuir com o time para mais uma vitória. Foi um jogo difícil, que sabíamos que seria assim, mas creio que os garotos que vieram da base estão mostrando seu valor. Quando o Alex, Rafael e o Shilton voltarem, teremos mais opções e o time ainda mais forte”, destacou Maikão.

Para o técnico Demétrius Ferracciú, a vitória foi conquistada na defesa.

“O principal fator para vencermos foi nossa postura defensiva. Falei no vestiário que teríamos que ter paciência e saber defender. Os meninos mostraram, mais uma vez, que têm condições de jogar e nos dar mais opções para as partidas mesmo quando os adultos retornarem”, destacou.

O técnico Guerrinha, foi bem pontual quanto aos erros do Mogi das Cruzes e as estatísticas foram claras para isso.

“Não tivemos um primeiro quarto bom, mentalmente não estávamos no jogo, mas conseguimos fazer um revezamento e fizemos um segundo quarto muito bom. O terceiro foi super equilibrado. O que definiu bem o jogo foi o fator lance livre. Batemos 26 e convertemos 12, 14 errados. A gente teve um rendimento abaixo no aproveitamento geral, com 39% contra 42% deles. Eles tiveram um jogo mais intenso que o nosso na maior parte do jogo e nós em algumas partes. Precisamos melhorar esse rendimento individual ofensivo. Nosso time não pode fazer 68 pontos e errar 14 lances livres. Com a experiência e valores que tem, precisa render mais no ataque e na defesa melhorar no um contra um”, advertiu o técnico.

Bauru volta a jogar em casa na próxima quarta-feira, dia 6, quando recebe o América de Rio Preto na abertura do returno do estadual. A partida está marcada para as 20h, novamente no ginásio Panela de Pressão.

O próximo jogo do Mogi das Cruzes/Helbor será no sábado, dia 9 contra o Osasco, às 19h, no Ginásio Hugo Ramos.

 

Pelo Paulista, Gocil/Bauru vence Mogi das Cruzes/Helbor em casa
Gui Santos iniciou no quinteto titular.
Foto: Victor Lira/Bauru Basket.

O JOGO

O reencontro dos dois finalistas da última edição do estadual foi equilibrado desde os primeiros minutos e ditado pelos duelos particulares entre Kendall Anthony contra Larry Taylor e Maikão versus Wesley Senna no garrafão.

A velocidade do camisa zero do Dragão e a pontaria certeira de Isaac e Gui Santos, principalmente na linha dos três pontos, levaram Bauru a abrir boa vantagem. Anthony fechou o primeiro quarto com dez pontos e 100% nas duas tentativas de fora. Consistente, o Dragão terminou a primeira parcial com boa vantagem de 15 pontos, 29 a 14.

A intensidade seguiu no segundo quarto, com Mogi buscando o placar. Com bolas de Larry Taylor e Wesley Senna, dois ex-jogadores do Bauru, Mogi reagiu e diminuiu a vantagem para apenas dois pontos, indo para o vestiário com o placar em 35 a 33.

Na volta para o terceiro quarto, o Dragão retornou com Maikão e Renan na formação e a dupla garantiu quatro pontos logo de cara – em duas assistências de Renan e enterradas do camisa 18. Com Shamell e Larry, Mogi reagiu e virou o placar abrindo cinco pontos. Com bolas de Isaac e Anthony, o Dragão voltou a encostar: 49 x 50. Em chute de três de Renan Lenz, Bauru foi para o último quarto dois pontos na frente: 52 a 50.

O jogo esquentou mais ainda no último período. Mogi passou à frente outra vez, mas com chute de três, Stefano colocou o Dragão no jogo, 59 x 61. Em dois lances-livres, Isaac empatou restando pouco mais de 3 minutos.

Com Stefano e Anthony em quadra, Bauru seguiu com a posse de bola, tirando espaços de Mogi e garantiu a vitória no último minuto com lances-livres de Renan Lenz e Anthony: 72 a 68.

SOBRE O AUTOR

Diego Andrade, mais conhecido como Diego Silver. Professor de Educação Física. Pai, viciado em coisas de Nerd e é claro entusiasta do Basquetebol. Ex-Aluno do Bi-Campeão Mundial Rosa Branca, quando o mesmo era servidor do SESC Consolação.

CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: